As percepções de um soldado nesse mundo de trevas

Imagem 1

O inimigo de nossas almas não nos dá trégua. Ele não descansa e não dorme. Sabe quem somos em detalhe e assim ele tenta de todas as maneiras nos distanciar da única proteção real e efetiva que possuímos através de Yeshua pelo poder da Ruakh HaKodesh em Adonai. Se não estivermos seguros debaixo das potentes mãos de Adonai, à sombra do onipotente, estaremos entregues à morte o tempo todo e certamente sucumbiremos. Se formos ao campo de batalha desarmados, seremos mortos.

Imagem 2

O primeiro campo de batalha começa em nossa mente e incide diretamente na esfera física. As percepções de um soldado em um mundo de trevas ditam as suas atitudes em combate. Quer seja na vida prática ou na dimensão do Espírito, em ambos os casos, um está atrelado ao outro de forma definitiva.

Muitas vezes não percebemos que as batalhas são travadas, primeiro, na dimensão espiritual e esta incide diretamente no mundo físico. Tenhamos em mente que somos soldados em território inimigo e que o inimigo de nossas almas nos conhece e analisa cada passo, cada lugar que andamos, as pessoas que nos relacionamos e o que fazemos em tempo vago ou fora dos olhos de qualquer outro humano e, irá nos combater, principalmente os que possuem uma vida vacilante, pouco preparo, santificação. Estamos preparados para combater na força do Eterno que há em nós através de Yeshua pelo poder da Ruakh HaKodesh em Adonai? Se formos nas forças dos braços, certamente pereceremos. Se nossos olhos e ouvidos forem abertos para ver e ouvir o que ocorre a nossa volta, para além de nossa própria percepção, certamente estaríamos clamando continuamente a Adonai. Adonai, um dia reinará soberano e o Seu Nome será um. Por hora, este mundo tenebroso tem um príncipe regente [HaSatã – o Adversário], que quer nossas cabeças e fará o que for necessário para obter o seu intento. Uma triste situação, HaSatã tem conseguido aprisionar de forma muito estratégica de dentro para fora das “igrejas”, através de pessoas que dizem professar o Nome do Messias Yeshua mas, profanam o sagrado, principalmente os adeptos a maçonaria. São lobos devoradores que não pouparão o rebanho: não lideram, protegem, corrigem e dão alimento estragado ao rebanho, embora sendo estudiosos ou eloquentes.

Imagem 3

Importante: “Por fim, cresçam poderosamente em união com o Senhor, ligados a seu forte poder! Usem toda a armadura e as armas providas por D’us, para que sejam capazes de resistir às táticas enganosas do Adversário. Porque nós não lutamos contra seres humanos, mas contra os líderes, as autoridades e os poderes cósmicos que governam as trevas, contra as forças espirituais do mal na esfera celestial. Por isto, usem todas as peças do equipamento de guerra concedido por D’us, para que, quando o dia mau vier, vocês sejam capazes de resistir a ele; e, quando a batalha for vencida, permaneçam de pé.”  Efésios 6.10-13 .

 

ESTUDO DOS VERSOS

“Porque nós não lutamos contra seres humanos, mas contra os líderes, as autoridades e os poderes cósmicos que governam as trevas, contra as forças espirituais do mal na esfera celestial.” (v.12)

Este verso em específico trata não somente do mal nas regiões celestiais, mas do mal que existente abaixo de nossos pés (Apocalipse 9: 1 – 11) e também há outras “raças de víboras” que caminham como humanos, tem a aparência humana mas não o são de fato! Yeshua cita claramente isto quando fala aos sacerdotes naquele contexto específico.  Ali, Yeshua não está falando somente para aqueles sacerdotes mas, afirmando que há outras raças além da raça humana entre nós [filhos de B’lial não é somente a designação de homem mau mas, de seres não pertencentes à raça humana]. David já os combatia (vide Sh’mu’el Bet / 2º Samu’el 23: 6,7)

Ênfases Adicionadas

“Mas os ímpios são como espinheiros que são jogados de lado, cada um deles. Eles não podem ser tomados pela mão de ninguém. Para tocá-los usa-se forcado ou o cabo de uma lança, e, ainda assim, só para queimá-los no lugar onde estão.”  Sh’mu’el Bet / 2º Samu’el 23: 6,7

“Cobras! Filhotes de cobras! Como vocês escaparão da condenação do Gei – Hinnom [Geena]?”[1]  Mattiyahu / Mateus 23.33

“Quando Yochanan [João o batizador] viu que muitos dos p’rushim [Fariseus] e tz’dukim [saduceus] vinham para ser imersos por ele, disse-lhes: “Víboras! Quem lhes deu a idéia de fugir da punição vindoura?”  Mattiyahu / Mateus 3.7

Narrativa de Efésios 6:

“Assim resistam! Usem o cinto da verdade, preso em torno da cintura, revistam-se da justiça como couraça, e usem nos pés a prontidão procedente das boas – novas de shalom. Sempre usem o escudo da confiança [Fé], com o qual poderão apagar todas as setas inflamadas do Maligno.  Tomem o elmo da libertação com a espada concedida pelo Espírito, que é a palavra de D’us, enquanto oram em todas as ocasiões, com todos os tipos de oração e súplica, no Espírito, de forma vigilante e persistente, por todo o povo de D’us.” Efésios 6.14-18

Nota importante: tais equipamentos são disponibilizados por D’us para o soldado que crê em Yeshua. Os ímpios, não tem proteção alguma. Sequer notam que as mazelas provocadas em sua própria vida tem primeiro uma origem espiritual que incide no mundo físico.  

 O outro lado da moeda

O combate físico é lícito? Sim, veja no artigo publicado O FINAL DOS TEMPOS CHEGOU. Os tempos que estão por vir farão de você um lobo? Uma ovelha? Ou … Um cão pastor? A questão a ser levantada aqui é: quem de fato você é? Leia o artigo e descubra por si mesmo.

Imagem 4

A sociedade está encoberta de nuvens tenebrosas, há muitos sinais nos céus e na terra que influenciam negativamente as nações e cada cidadão delas e levam os governos ao caos, crises e catástrofes e muitos certamente tem observados esses sinais, rumores de guerra e destruição distintas das destruições de guerras. Roubaram dos homens o instinto de autopreservação e defesa, tornando-os iguais a ovelhas, que ignoram o perigo como se ele não existisse até que os lobos, crises ou tragédias os ataquem, principalmente se o ataque for homens contra homens e aí tentarão correr para um único cão pastor por não estarem preparadas para sobreviver.


SOBREVIVENCIALISMO

Imagem 5

Imagem 6

Os dias são difíceis e não se pode esquecer que há cumprimento das Escrituras Sagradas, Toráh/Bíblia, onde o mal se expande com rapidez e em várias áreas da sociedade e da vida pessoal daqueles que não se rende a vontade de Adonai. Muito em breve precisaremos lutar por nossas vidas, nossa fé, nossos parentes e amigos. Estamos preparados para fazer o que for necessário para sobrevivermos?  Krav Maga é uma excelente alternativa.

Esse o assunto em geral é tratado com desdém, teoria da conspiração e por muitas vezes, as pessoas no afã de alertar outras do perigo são taxadas de loucas, desde gerações passadas. O que irá acontecer quando a maioria das pessoas forem pegas desprevenidas, percebendo  tardiamente que as suas vidas estão em risco iminente de morte? Negligentes ao desprezar informações relevantes, embora anteriormente alertadas por pessoas que, já despertas, tentaram alertá-las? Certamente irão procurar as pessoas que tentaram alertá-las, porém, o que as farão pensar que serão aceitas? Desprezaram informações que lhes seriam muito úteis. Esse tipo de busca ocorrerá unicamente para salvarem as próprias vidas e não porque confiaram na informação transmitida e quando se sentirem seguras, certamente trairão. Os que se preparam certamente não caminharão com os despreparados (ver a parábola das 10 virgens em Mateus 24:32-35). Os cães pastores certamente não arriscariam a própria vida, muito menos as vidas que estiverem junto a ele desde o início dos preparos para os dias maus. Caso os despreparados consigam se infiltrar, serão devida e rigorosamente punidos.

Uma das vertentes para abertura desse assunto está baseado no artigo Islã, a verdade revelada por trás do véu.


O VALOR DA UNIDADE

“Por isso lembrem-se de seu estado anterior; vocês gentios por nascimento – chamados incircuncisão – naquele tempo não tinham o Messias. Estavam alienados da vida nacional de Yisra’el. Eram estrangeiros às alianças que incorporavam a promessa de D’us. Estavam neste mundo sem esperança e sem D’us. Agora, porém, vocês que estavam longe foram aproximados por meio do derramamento do sangue do Messias. Porque Ele mesmo é nossa shalom – de nós fez um só e derrubou a m’chitzah[2] que nos dividia destruindo em seu corpo a inimizade gerada pela Toráh, com seus mandamentos estabelecidos na forma de ordenanças. Ele o fez a fim de criar dos dois grupos uma nova humanidade em união consigo mesmo e, dessa forma, trazer shalom, e reconciliá-la com D’us em um único corpo ao ser executado na estaca como criminoso, matando desse modo a inimizade em si mesmo. Também ao vir, anunciou as boas novas de shalom a vocês que estavam longe e de shalom aos que estavam perto, notícias de que por seu intermédio todos nós temos acesso em um Espírito ao Pai. Portanto, vocês não são mais estrangeiros nem forasteiros. Ao contrário, são concidadãos do povo de D’us e membros da família divina. Vocês tem edificado sobre o fundamento dos emissários e dos profetas do qual a pedra principal é Yeshua, o próprio Messias. Em união com ele, toda a construção é sustentada e está crescendo para se transformar em um templo santo em união com o Senhor. Sim em união com ele, vocês tem sido edificados em conjunto para se tornarem um local de habitação espiritual para D’us.”  Efésios 2.11-22  

“Portanto, imitem a D’us, como filhos amados, e vivam em amor, como também o Messias nos amou; na verdade, ele se entregou a nosso favor como oferta, como sacrifício de aroma suave oferecido a D’us. Entre vocês não se deve nem mencionar imoralidade sexual, ou qualquer tipo de impureza, ou ganância; estas coisas são impróprias para o povo santo de D’us. Vocês também devem deixar de lado a obcenidade, as conversas tolas e a linguagem obcena; em vez disso devem dar graças. Pois estejam certos disto: nenhuma pessoa sexualmente imoral, impura ou gananciosa – isto é idólatra – não tem parte no Reino do Messias e de D’us. Que ninguém os engane com conversas inúteis; por causa dessas coisas, o juízo de D’us sobrevém aos desobedientes. Portanto, não se associem com eles! Vocês também eram trevas; mas agora, unidos ao Senhor, são luz. Vivam como filhos da luz, porque o fruto da luz está em todo o tipo de bondade, justiça e verdade – tentem determinar o que agradará ao Senhor. Não tenham nada em comum com os atos produzidos pelas trevas; antes exponham-nos, porque até mesmo falar sobre o que essas pessoas fazem em segredo é vergonhoso. Mas todas as coisas expostas à luz são claramente reveladas, pois todas as coisas reveladas são luz. Por isso é que se diz: “ Desperte, dorminhoco! Levante-se dos mortos, e o Messias brilhará sobre você. ” Por isso, deem muita atenção a como conduzem a vida – vivam de forma sábia, e não insensata. Usem bem o tempo, porque os dias são maus. Não sejam tolos, tentem entender qual é a  vontade do Senhor.  Submetam-se uns aos outros no temor do Messias. As mulheres devem se submeter ao marido como o fazem em relação ao Senhor; porque o marido é o Rosh [heb. cabeça] da mulher, da mesma forma que o Messias – como Rosh da comunidade messiânica – mantém o corpo seguro. Da mesma forma que a comunidade messiânica se submete ao Messias, também as mulheres devem se submeter aos maridos em tudo. Com relação aos maridos, ame cada um sua mulher, como o Messias amou a comunidade messiânica e, de fato, entregou-se a favor dela, a fim de separá-la para D’us, como que purificando-a mediante a imersão na mikveh[3], com o objetivo de apresentar a comunidade messiânica a si mesmo como noiva da qual se orgulha, sem mancha, ruga ou qualquer coisa semelhante, mas santa e sem defeito. É deste modo que cada marido deve amar sua mulher – como ao próprio corpo; porque o homem que ama a sua mulher ama a si mesmo. Ninguém jamais odiou a própria carne! Ao contrário, alimenta-a e cuida bem dela, do mesmo modo que o Messias o faz com a comunidade messiânica, porque somos partes de seu corpo.” Efésios 5.1-17; 21-30.

Imagem 7

“Assim, eu lhes digo – na verdade em  união com o Senhor insisto – não vivam mais como pagãos com a  sua forma inútil de pensar. A inteligência deles foi envolta em trevas, e foram alienados da vida de D’us por causa da ignorância que há neles, em virtude da resistência à vontade divina. Deixem seu espírito e mente serem renovados e se revistam da nova natureza, criada para a piedade, que expressa em si mesma a mispáh[4] e a santidade procedentes da verdade.” Efésios 3: 17,18,23,24

Toda unidade militar, tem por princípio basilar a unidade de corpo. Do Soldado ao Coronel, no quartel se aprende o valor da unidade onde a vida do combatente está literalmente nas mãos de seu companheiro, ou seja, uma família alinhada para vencerem unidos, suprindo e protegendo uns aos outros, independente das circunstâncias e tal união é imprescindível para a sobrevivência de cada soldado em combate no campo de batalha.

Imagem 8

Tais exemplos, deveríamos ter no caminho do Messias Yeshua. A unidade N’Ele é imprescindível para sobrevivermos e estarmos de pé quando Ele vier em sua glória. Estejam certos de que, se esta unidade for inexistente, certamente seremos exterminados da terra dos viventes. Isto é um fato a ser considerado com extrema cautela e zelo.

É isto que o Messias espera de nós! Que nós sejamos um como Ele [o Messias] é um com o Pai.

Imagem 9

Perguntas fundamentais:

  1. Somos soldados do Mashiakh? Estamos de fato imbuídos deste mesmo princípio basilar?
  2. Somos um só corpo no Mashiakh Yeshua?
  3. Temos condição efetiva de nos defender e defender outros?
  4. Estamos preparados para dar a vida pelo nossos amigos, partentes, família e defender a Fé [Hebraico= Emunáh]?
  5. Faremos o necessário para garantir a nossa própria sobrevivência e a sobrevivência daqueles que estiverem conosco nos dias maus que se aproximam?
  6. Estamos preparados para defender a unidade familiar e aos irmãos/amigos, como soldados a quem fomos chamados a ser N’Ele ou nos acovardaremos e trairemos a Emunáh e a seus irmãos no Messias?

Meditemos com cuidado nestas perguntas, disto depende a  eternidade de cada um. Somo individualmente responsável pelas próprias escolhas e não inescusáveis diante de Adonai.

Seremos duramente cobrados pela administração do tempo, principalmente pelos desperdícios e distrações.

Imagem 10

Lembre-se de que a negligência não é uma opção! Cuide das pessoas das quais o Eterno irá colocar em suas mãos para cuidar pois, do contrário, terá o sangue delas em suas mãos e no dia do juízo Ele irá cobrar cada sangue inocente. Isto é um fato inquestionável do qual os homens não poderão escapar. Terrível coisa é cair na mão do D’us vivo e isto certamente não queremos experimentar na eternidade. Portanto, sejamos zelosos naquilo que Adonai confiar em nossas mãos.

Imagem 11

Não desista da jornada e seja um combatente leal para com os demais. O covarde não passa de um traidor que, para salvar a própria pele, irá trair de alguma forma. Ele não tem compromisso com o Eterno, muito menos com os seus santos. O seu compromisso é com o seu próprio pescoço, segundo os seus próprios interesses. Não se associem com covardes, do contrário, sofrerão o gosto amargo da traição  quando as perseguições começarem a acontecer.

Acautelai-vos dos lobos em pele de ovelha e, acordem enquanto ainda há algum tempo.

Quem tem ouvidos, ouça ….

[1] Gei – Hinnom [Geena]. Literalmente “vale de Hinnom”, localizado ao sul da velha cidade de Yerushaláyim, onde o lixo da cidade era incinerado; daí o significado metafórico, devido aos fogos, do inferno.

[2] m’chitzah = parede de divisão.

[3] Mikveh: banheira ou piscina com influxo de água, usado no judaísmo ortodoxo até o dia de hoje para rituais de purificação. [Tt. 3.5]

[4] Mispáh: literalmente justiça.

 

Autor: Antônio Carlos Calçada

Como controlar o tempo?

Com uma agenda, seja ela virtual ou física. Estabelecendo metas diárias, semanais e mensais, anotando tudo na agenda na data/hora e estimativa de duração Metas do trabalho: saber quem é sua chefia, suas responsabilidades e atividades, além do cronograma interno de entregas e parceiros para as entregas. Prioridades do trabalhos diários, semanais – prazos. Metas família: financeira, afetiva (tempo de qualidade), entretenimento. Metas gerais: estudos e atualizações para se manter ativo no mercado de trabalho; estudos e aprimoramento para melhor gerenciar a família; espiritual: oração, leituras, meditações. Regras fundamentais: olhar a agenda várias vezes ao dia, ajustando datas e horários com responsabilidade: desmarcar quando necessário e não por descuido de tempo ou situações que poderiam ter sido contornadas. Saber mais sobre o tempo: tempo de executar atividades, tempo de leitura para poder dar algum parecer de documentos, tempo de preparar uma apresentação, tempo de locomoção. Análise constante de si mesmo, motivações, refúgios que levam a perda de tempo precioso.

Fonte: LinkedIn

O profissional liberal

Hoje é comum e natural ser freelancer ou profissional liberal quando se há várias aptidões ou algumas que se complementam e geram resultados financeiros e pessoais – controle de agenda.

O capitalismo é igual a preço baixo e qualidade para muitos. Se não houver isso, não há negócio, compra ou contratação de serviço.

Colocar-se no lugar do outro não é fácil e muito pouco praticado. Perceba que se esse profissional liberal for o pai, mãe ou ente querido que se especializou, batalhou muito e não consegue a renda suficiente para as despesas básicas, além de tentar ouvi-lo melhor para compreender se há erros no processo de oferecer o produto ou serviço e os métodos de precificação, irá também ouvir as histórias dos clientes que se nega a contratar tal mão de obra e, provavelmente, sentirá raiva e vontade de ofender com palavras alguns possíveis clientes quando percebe que não há erros nos métodos de trabalho deste ente querido.

Qual é o objetivo deste relato? Será que somos justos ao avaliar e contratar uma mão de obra para qualquer tipo de atividade quando surge tal necessidade?

“Fulano pode ser valor baixo”.
“Meu ente querido merece receber valor melhor”.

Estratégias para avaliar além das fronteiras do preço.

Fonte: LinkedIn – Publicado por Flávio Sodré em 02 de dezembro de 2017