Falta de tempo? Práticas políticas de dominação social

Para compreender a falta de tempo ou as exigências do mercado de trabalho é necessário compreender um pouco de seu mecanismo e, posteriormente, as decisões tomadas na vida e o que se têm obtido delas.

Texto de Daniel Estulin

Todos os aspectos da vida psicológica e mental da população mundial foram definidos, registrados e arquivados em sistemas informáticos. Os grupos sociológicos, psicológicos, psiquiatras, antropólogos, centros de estudos e fundações, que trabalham em estrita colaboração uns com os outros, são presididos por poderosos membros da oligarquia, composta principalmente pela antiga Nobreza Negra de Veneza. O leitor poderá perguntar-se: Qual é o propósito dessas modificações de comportamento? De implantar mudanças forçadas no nosso modo de vida, sem o nosso consentimento e sem que saibamos sequer o que está a nos acontecer. O objectivo máximo é extirpar por completo o sentido de <<identidade>> do ser humano, arrancar-lhe a alma e substituí-la depois por uma pseudo-alma artificial, sintética. No entanto, para poder mudar o comportamento dos seres humanos, separá-la da produção industrial e conduzi-la até ao espiritualismo, e para obrigá-los a entrar voluntariamente no mundo da era pós-industrial de crescimento zero e progresso zero, é necessário forçar uma mudança da imagem que o ser humano tem de si mesmo, do conceito fundamental daquilo que somos. Assim, temos de procurar a imagem do homem que resulte e seja apropriada a essa nova era, há que sintetizá-la e depois ligá-la ao cérebro da humanidade.

Manter a maioria num estado contínuo de ansiedade interior funciona, porque as pessoas são obrigadas a estar demasiado ocupadas a assegurar a sua própria sobrevivência ou a competir por ela para colaborar na construção de uma reacção eficaz.

Na década anterior, manteve-se a população mundial num permanente estado de instabilidade através de contínuos debates económicos e decretos de comércio transnacional, que esvaziaram os cofres nacionais e anularam o direito a autodeterminação dos países. As populações viam-se tão angustiadas pelo constante avanço da monstruosa maquinaria, da crise económica e do meio ambiente, que a prática universal de criar insegurança deixou as maiorias sociais paralisadas por um terror de baixa intensidade. Esta é uma condição necessária para que um movimento totalitário continue a avançar, pois o seu modus operandi consiste em manter os seus súditos em perpétuo desequilíbrio. Fonte: Estulin,D. O instituto Tavistock – as forças ocultas que nos controlam. Portugal 2012, páginas 10,11.

Senso comum sobre a vida

O homem moderno avançou nos estudos sobre a mente e comportamento humano nas últimas décadas, permitindo criar sistemas, metodologias, novas publicações literárias que o ajude a lidar com as dificuldades inevitáveis da vida como doença, crises financeiras, perdas e frustrações. Incrível foi perceber que Salomão já havia feito uma observação sobre o assunto quanto disse que as preocupações roubam a felicidade do homem; foi além quando disse que a honradez é o caminho para a vida, alertando que a falta de juízo é a estrada para a morte, que nem sempre é a morte do corpo, mas a destruição de caráter, o afastamento das pessoas de convívio. Essas observações se afirmam quando, no dia a dia, percebe-se sua natural aplicação nas ações das pessoas… por isso Salomão foi denominado de sábio. Salomão fez ainda outra observação, que diz “O Senhor deu aos seres humanos inteligência e consciência; ninguém pode se esconder de si mesmo.” “Se você pensa que tudo o que faz é certo, lembre que o Senhor julga as suas intenções. Faça o que é direito e justo, pois isso agrada mais a Deus do que lhe oferecer sacrifícios.”

Aonde tudo isso nos direciona? A uma análise crítica de nosso comportamento perante o ritmo frenético da sociedade ou das economias globais, permeando em falta de tempo, ansiedades, depressões, competitividade para sobrevivência no mercado de trabalho, desestruturação do conceito original de família, desestruturação nas relações humanas, desestruturação no conceito das religiões judaicas-cristãs, destruição da essência do homem com adição de novos valores sociais, baseado na liberdade de escolha, verdade relativa e subjetivismo, ou seja, nada é errado e tudo dependerá do ponto de vista de quem observa, ninguém detém a verdade pois ela estará dentro de cada ser. Mentiras e enganos, desestruturação social, com objetivo de manipulação de tudo e de todos. No DNA humano há uma essência que sempre o alertará do certo e o errado, independente dos anos de sua existência, cultura e religião.

E qual seria o problema? Aceitar tudo como normal, tornando-se tolo, com medo das consequências de pensar e agir diferente daquilo que nos diz ser verdade. Uma sociedade que luta apenas para sobreviver e que não consegue controlar seus impulsos não terá embasamento para mudar os rumos da economia de seu País e do mercado local de trabalho, esta sociedade pode ser considerada livre? E a indiferença quanto a miséria ou problemas alheios, o crescimento da miséria social, será que a condenação para eles naturalmente deve ser o conceito pós-moderno denominado meritocracia, ou seja, vão morrer dessa forma porque merecem? No cenário de trabalho a meritocracia é a chave do sucesso, do contrário, se faz merecedor do fracasso e suas consequências. Já vivemos assim em quase todos os âmbitos da esfera social – dominados, miseráveis, com falsa ilusão de felicidade.

 

Pensar em política

Quando o tema é POLÍTICA, existe um grande desafio em compreender suas raízes, causa e efeito quando aplicada nas sociedades. Tamanha as ramificações de pautas a serem tratadas deste tema que este foi eliminado de todas as áreas do ensino, exceto na Faculdade.

Ética, filosofia e política e sociedade são de extrema importância para a formação de uma sociedade que tenha em seu ser (núcleo) um consistente embasamento sobre a vida, deveres, limitações, democracia e sistemas políticos.

Mesmo com a inquietação social desde meados de junho de 2013 com a insatisfação do aumento das tarifas do transporte público e o avançar das investigações da Lava-Jato, temos uma sociedade que tem sede de justiça, mas desconhece os mecanismos de mudanças.

Proponho este curso básico de Ciência Política, promovido pela Veduca, cujo conteúdo aborda a conceitos básico sobre o tema e como é feita sua aplicação no sistema brasileiro.

“Iniciar caminhos desconhecidos dá-se pela proposta de estudos, planejamento e estratégias” Flávio Sodré


Ciência política é o estudo dos sistemas políticos, das organizações e dos processos políticos.

Envolve o estudo da estrutura e dos processos de governo, ou qualquer sistema equivalente de organização humana que tente assegurar segurança, justiça e direitos civis. Abrange diversos campos, como filosofia, economia, geopolítica, administração, entre outros.

Link

Mãe Brasil, maridos corruptos, amantes inescrupulosos e filhos acovardados

maebrasil_p

Para todos que nasceram neste país continental e belo, aqueles que labutam diariamente e aguardam dias melhores, mesmo perante angústias e tristezas pela miséria ocasionada pela corrupção.

Breve “romance” a respeito

Brasil de terras férteis, riquezas indiscutíveis e cobiçadas, vastos campos, vales e paisagens exuberantes. Este país é uma amante para os investidores estrangeiros; e mãe que sempre acolheu muitos refugiados de guerra de nações distantes.

Nossa mãe tem se revoltado contra os filhos, graças aos maridos (governos) escolhidos cegamente pelos filhos desta pátria, a cada ano de eleição. Tais maridos judiam e maltratam a mãe Brasil, que mal pode enxergar sua beleza natural feita por Deus. Quanta avidez dos filhos por mudanças, dispostos a ajudá-la e a exaltá-la como modelo de justiça e equidade ao mundo! Mas, tanto a mãe Brasil como seus filhos são embriagados com cálices que os deixam com vertigem e indisposição física, ou intelectual, para reagirem. Muitos dos filhos, revoltados e sentindo-se incapazes de fazerem mudanças, foram procurar em outros locais, distantes das marcações das terras maternas, no estrangeiro, um lugar para crescer, florescer e viver dignamente, proporcionando segurança e estabilidade a futuras gerações, com a certeza de que as mudanças esperadas seriam lentas demais para objetivos audaciosos, incapazes de  se concretizarem e de se obter resultados.

Outros filhos, sem condições e apoio necessário para abandonar o lar, são maltratados pelos maridos ou pelas amantes, até a morte. Os anos passaram, os maridos foram trocados, mas a bebida que embriaga a mãe Brasil e os seus filhos nunca foi retirada, levando à continuidade de males extintos em muitas nações, como a fome, a melhor distribuição de renda,  a saúde pública de qualidade (Albert Einstein ou Sírio Libanês, como referências). Essas atividades malignas e astuciosas são praticadas para que maridos e amantes sejam muito felizes e prósperos, consagrados como deuses, protegendo-se para que nada os abale e retire o poder de suas mãos. Não olharam, tampouco olham para os filhos com amor; tornam-nos escravos, tirando-lhes os direitos constitucionais garantidos, sem permitirem diálogo, ignorando os clamores de socorro. Maridos e amantes, inteligentes e labiosos, usaram e usam a inteligência para a prática do mal; escarnecem dos descendentes, julgando-os lixos que precisam ser destruídos em favor do meio natural de sobrevivência estabelecido pela ordem natural da globalização.

Nossa mãe está abatida e abalada; no entanto, viciada como está, não tem forças, nem consegue levantar e reagir.

Por onde começar?

É necessário agir por conta própria, protegendo a família, sem esperar algo dos governos. Urge investir em cursos e livros que ajudem a compreender a História do país, seu sistema político e as engrenagens ajustadas apenas para prevalecer a corrupção, a precariedade e a má gestão dos direitos conquistados.

Olhemos para frente e utilizemos os métodos disponíveis. Os mecanismos da política precisam mudar, mas necessitamos de pessoas sérias, que se capacitem e não se vendem por nada: dinheiro, poder, fama, status ou coação.

Áreas

Cada filho desta pátria, observando os problemas sociais e de estrutura urbana, pode rascunhar projetos de melhorias, organizar um comitê para avaliá-los, considerar todos os planos e estruturá-los em um documento formal. Com ele, somos capazes de lutar por reformas, tendo em mãos o cenário preparado de forma a não sermos envolvidos em falácias. Precisam ser contemplados, com urgência, projetos de reforma política, assim como políticas de distribuição de terras e de desenvolvimento de tecnologias. Ademais, são necessárias indústrias próprias para a melhor gestão da política nacional e da segurança. A privatização não é a saída visto que mais de R$ 1 trilhão em impostos é recolhido, anualmente, e este valor não é bem administrado, havendo com certeza desvios e lavagem de dinheiro, como ocorrera com o das estatais (por exemplo, no caso da Petrobras).

Exemplos de melhorias na gestão pública

  • Combate à corrupção por meio de denúncias e provas contra os que serão acusados de fraude, corrupção, extorsão, violação dos direitos adquiridos e de propriedades da nação, vendidas em privatizações ou concessões.
  • Combate à corrupção florestal e à ambiental, Manejo Florestal Sustentável na Amazônia legal, que não passa de venda integral da floresta e a exploração exaustiva de todos os recursos existentes.
  • Reformulação do repasse de verbas públicas federais. Há muitos órgãos estaduais e municipais corruptos, desviando verbas diversas, inclusive nas áreas da saúde e da educação.
  • Reformulação do ensino público; as escolas estão um caos, e não há como formarem cidadãos.
  • Reformulação do conteúdo de ensino.
  • Estruturação da logística brasileira, hoje utilizando as estradas demasiadamente, tendo em potencial ferrovias interligando os estados, utilizando apenas a logística rodoviária para percursos pequenos, ex-estatais que não investem em expansão ou melhorias.
  • Reformulação do sistema de gestão dos funcionários públicos, quer sejam municipais, quer estaduais, quer federais; cargos e salários reformulados, principalmente na área de segurança. Policiamento não é segurança, nem a garante efetivamente.
  • Estruturação das cidades: infraestrutura das vias públicas, transporte em massa, saneamento básico, eletricidade, saúde pública. Crescimento populacional mensurado, evitando caos no trânsito e em transporte público.

Todos

Nós, filhos desta pátria, podemos mudar o país. Distantes ou próximos, devemos unir forças, estabelecer planos e praticá-los com a exigência de benefícios sociais, fim do cartel político e de todo o vínculo familiar e de amigos na política, enraizado há séculos em nossa História. Eliminação dos salários e de cargos vitalícios, principalmente para os que sempre empurraram o Brasil para o abismo.

Não podemos sair às ruas sem planos estabelecidos. A corrupção atua de maneira idêntica ao câncer: direta ou indiretamente, aflige-nos, quer seja de forma lenta, quer rápida. E desaparecem ânimo, vigor e fôlego de vida. Nosso país pode ser um paraíso como as nações de primeiro mundo. A luta, porém, será intensa, mas não poderemos afrouxar as exigências diante das primeiras melhorias políticas. Há de se requererem intensidade e bloqueio das ações dos corruptos no governo, até que todos, sem exceção, possam usufruir de qualidade nos serviços e na gestão pública. A partir daí, a manutenção e o gerenciamento da nação tornam-se mais descomplicados e transparentes.