O Corretor de Imóveis

corretagem

Quer um dia se tornar um corretor de imóveis? Obviamente se você começou a ler este artigo, tem esta intenção, portanto, comece a respirar a corretagem de imóveis.

Quais são os preparatórios para esta jornada? Ousadia, determinação e quebra paradigmas. Não se pode admitir que investir em imóveis não é vantajoso, aliás, desde tempo remotos o homem lutou para ter um espaço de terra e ali construir sua moradia e família e esta situação é real ainda hoje é um dos alicerces da estabilidade, imóveis, quer seja para habitação ou investimento. Cada cidade ou município haverá culturas e hábitos diferenciados, que serão agregadores quando experiências entre profissionais da corretagem são compartilhadas. Salomão, um dos reis mais sábios de Israel, já dizia que ferro se afia com outro ferro e homem com outro homem, ou seja, aprimoram-se em suas atividades e habilidades, sem medo de expor as dificuldades encontradas. Aristóteles, filósofo grego, disse que a excelência não é um modo de agir, mas um hábito daquilo que se faz repetidamente; portanto, tudo isso não ocorre caminhando sozinho e sem conselhos. Bons colegas de trabalho, honestos e experientes não podem ser deixados de lado.

Com a tecnologia acessível e informação nas mãos, os clientes tornaram-se exigentes e muitos corretores não conseguem mudar hábitos que podem afastá-los, como as vestimentas, por exemplo: os homens vestem camisa social coladas ao corpo, ou calças skinnies ou camisas abertas a ponto de expor o tórax, parecendo que estão em um evento após expediente de trabalho. As mulheres de vestidos ou saias curtas, que sobem para além do joelhos quando sentadas, além do decote aberto, pedindo para os clientes contemplarem seus corpos e não imóvel. A aparência, vestimentas e o semblante contam muito: a aparência de tristeza, de muita seriedade ou muita alegria são cartões de visita ou despedida. Sobriedade é o cartão de visita ideal, nele você pondera seus hábitos e conteúdos que podem ser expostos ao cliente – amizade e negócios não se misturam, tempo de ouvir e de ser ouvido, cronograma de tempo e pontualidade nos compromissos firmados, melhores hábitos de vestimentas para cada ocasião a ser vivenciadas. Vendas não se trata de sorte, mas de preparo, constância e perseverança.

Vida de sucesso não se traduz apenas em abundância de dinheiro, embora ele seja um dos principais combustíveis das economias. O sucesso ocorre quando as ferramentas disponibilizadas na jornada da profissão são utilizadas de forma adequada e uma dessas ferramentas são pessoas, que fazem parte de empresas, que pertencem a diretorias ou hierarquias; nessa hierarquia, há o chefe, supervisor, coordenador ou líder, que irá orientar seus subordinados ou liderados para o rumo dos negócios/estratégia da empresa e aprender a estar sintonizado com eles requererá esforços, atenção e reflexões.

O mundo perfeito poderá existir após a morte, mas como muitos querem vida longa nesse planeta, a adversidade ou a dor de mudar hábitos serão os caminhos de crescimento, amadurecimento do caráter e das aptidões. Pessoas perfeitas não existem, mas há os que erram e aceitam ser corrigidas. Quanto aos rancorosos, não é necessário entrar em sintonia com suas amarguras, apenas faça o melhor com as ferramentas disponíveis, sem provocar-lhes a ira propositalmente. Nessa abordagem, Mario Sergio Cortella (faça o melhor que você pode com os recursos disponíveis) é bem enfático ao informar que não existem desculpas para se fazer o melhor trabalho proposto com as ferramentas disponíveis, tornando o ambiente de trabalho, mesmo precário de recursos ou investimentos, melhor.

O corretor de imóveis precisa ter disciplina, novos hábitos, reflexões e treino constante. Construir uma carreira sólida requer tempo e muito preparo. Não é fácil, não será fácil e mesmo que ganhe muito dinheiro sendo bom profissional, se não se cuidar e continuar a treinar habilidades, lutar contra a soberba e arrogância, a queda é certeira.

  1. Ter constância em atitudes sóbrias para permanecer ativo e produtivo para não morrer nas ondas ou tsunamis de mudanças da economia global. 
  2. O dinheiro/salário será uma consequência natural do aprendizado, amadurecimento.
  3. Organizar o tempo é essencial para:
    1. Conviver com pessoas e perceber seus hábitos, medos e ansiedades;
    2. Elaborar planos de captação de clientes e estratégia de vendas;
    3. Visão de futuro: aspectos positivos ou negativos daquilo que poderá surgir a frente. Hábito de leitura. Televisão não informará em tempo hábil tudo o que se precisa saber em curto espaço de tempo para que bons atendimentos e vendas ocorram.
      1. Estar preparado para mudanças na economia;
      2. Estar preparado para as mudanças de hábitos da sociedade;
      3. Estar preparado para inovar estratégias, ferramentas; mudar de cidade ou de país.
    4. Aprender a utilizar os recursos tecnológicos, laptop ou tablets/smartphones, assim como as ferramentas destes sistemas. As estratégias com essas ferramentas são diferenciadas, afinal, o corretor não pode ser um divulgador de coisas, lixo a vista do cliente, um SPAMMER.

Honestidade, o caminho para bons negócios

Existem exemplos de corretores que agem sem honestidade também, como os que acreditam que o filme O lobo de Wall Street, lançado em 24 de janeiro de 2014, podem inspirar a vender… sim, podem e há corretores que morrem por encomenda de cliente, por venderem imóveis de forma irregular, ignorando os filtros/informações necessárias para saber se, além dos recursos empregados em fase de obras, o cliente é capaz de ter o devido financiamento e obter as chaves; desta forma mal trabalhada, visando apenas a comissão no caso do corretor, o cliente perde o valor investido em fase de obras por não conseguir o financiamento e procura o corretor para satisfações e recuperar o dinheiro investido, que, em muitos casos, não conseguem recuperar conforme contrato firmado junto a construtora ou incorporadora. E como fica a reputação do corretor? Temos reportagens na mídia muito vagas sobre morte de corretores, que de fato ocorrem, e quem atua na área saberá explicar melhor situações de corretores de má índole, como também existem profissionais de má índole em outras áreas ou profissões. Ver matéria Bol – Corretora de imóveis é assassinada na zona leste de São Paulo em 16/01/2016.

Clóvis de Barros Filho, em vídeo publicado em 06 de maio de 2014 no canal Youtube Casa do Saber, com título O RESULTADO DO FOCO NO RESULTADO, informa que o conceito de vendas com foco no resultado é um conceito antigo na filosofia, denominado Consequencialismo Moral, cujo valor da conduta não se encontra na conduta mas nos seus resultados e nas suas consequências… não importa como você vendeu, o que importa é que você vendeu e trouxe os resultados para empresa. Assim, com o foco no resultado, muitos corretores perdem bons clientes e indicações, por se tornarem chatos e incômodos para com as pessoas na qual tenta vender ou alugar algum imóvel, forçando o cliente a comprar/alugar qualquer coisa, menos aquilo que se espera.

Conclusão

Aproveitar cursos online sobre finanças, mercado imobiliário, gestão de pessoas e de conflitos, negociação. Praticar os conhecimentos adquiridos, para que se torne um hábito.

Para ser corretor de imóveis ou empreendedor, precisa, em primeiro lugar, estabelecer metas. No pensamento popular, para quem não tem metas, qualquer coisa serve. Como os objetivos das empresas focadas em empreendimentos imobiliários não são de desmotivar os possíveis investidores de imóveis ou àqueles que querem adquirir o primeiro imóvel, reavalie sua vida e motivações. Ferramentas são valiosas demais para serem desperdiçadas. Nesta área, o interesse, o tempo e dinheiro estão nas mãos do cliente, portanto, necessário ter carteira grande de clientes potenciais com zelo e destreza.

Material Extra

Livro: Geração de Valor, compartilhando inspiração – Flávio Augusto da Silva

Abordagem contemporânea, do cotidiano, com bons exemplos de proatividade, meta e planejamento é possível alcançar patamares de crescimento e amadurecimento individual e social maiores, pelo fato de não acreditar e seguir os pensamentos e ações das multidões condicionadas a depender de governo ou segurança de trabalho para sobreviver ou viver, que se amedrontam com o novo, desconhecido ou desconfortável.