O profissional liberal

Hoje é comum e natural ser freelancer ou profissional liberal quando se há várias aptidões ou algumas que se complementam e geram resultados financeiros e pessoais – controle de agenda.

O capitalismo é igual a preço baixo e qualidade para muitos. Se não houver isso, não há negócio, compra ou contratação de serviço.

Colocar-se no lugar do outro não é fácil e muito pouco praticado. Perceba que se esse profissional liberal for o pai, mãe ou ente querido que se especializou, batalhou muito e não consegue a renda suficiente para as despesas básicas, além de tentar ouvi-lo melhor para compreender se há erros no processo de oferecer o produto ou serviço e os métodos de precificação, irá também ouvir as histórias dos clientes que se nega a contratar tal mão de obra e, provavelmente, sentirá raiva e vontade de ofender com palavras alguns possíveis clientes quando percebe que não há erros nos métodos de trabalho deste ente querido.

Qual é o objetivo deste relato? Será que somos justos ao avaliar e contratar uma mão de obra para qualquer tipo de atividade quando surge tal necessidade?

“Fulano pode ser valor baixo”.
“Meu ente querido merece receber valor melhor”.

Estratégias para avaliar além das fronteiras do preço.

Fonte: LinkedIn – Publicado por Flávio Sodré em 02 de dezembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *