Islã, a verdade por trás do véu

Há quem diga e acredita piamente que o islamismo é uma “religião pacífica” e que não fará mal algum nas cidades e nações instaladas. O próprio islamismo e governos disseminam essa mentira enquanto a religião ou ESTADO ISLÂMICO (país dentro de uma nação estabelecida) angariam adeptos sem transtornos. Objetivos: extermínio das religiões judaicas-cristãs e qualquer tipo de crença na qual consideram como profanos ou infiéis e para alcançar esse objetivo irão ingressar na política e demais setores de administração pública, tornando assim em uma teocracia predatória. [1]


JUSTIFICATIVAS PARA A BARBÁRIE

Imagem 1

Há 78 anos o mundo se calava ante a ameaça nazista de Hitler, em nome do “politicamente correto”, exatamente como ocorre agora, ignorando deliberadamente a ameaça islâmica, a história se repete e a maioria dos países está disponibilizando a vida de seus cidadãos para a morte deliberada, negligenciando a questão islâmica dentro de suas próprias fronteiras. A imprensa não tem a coragem de divulgar. O mundo já deveria saber que o que começa com Yisra’el não termina com ele. O holocausto é seu exemplo mais terrível. Na política, os extermínios de massas populacionais ocorrem indiscriminadamente, seja pela fome, sistema de saúde, guerra civil, guerrilhas, impunidade de criminosos de colarinho branco e criminosos criados pelo sistema econômico. Há os poderes que controlam as economias mundiais, como exemplo, as ditaduras na América Latina [2], além dos demais blocos continentais e seus senhores controladores.

Dúvida: Por qual motivo muitos países árabes não aceitaram os seus irmãos “refugiados” dentro de suas fronteiras?

Alguns vídeos esclarecedores quanto a verdade islâmica:

Vídeo 1 :  A verdade por traz da emigração em massa vinda do Oriente Médio

Muitos serão mortos por sua própria inércia, por não buscarem a verdade e o conhecimento pleno dos fatos, preferindo o “politicamente correto” transmitido pela voz das mídias de comunicação, não sabendo como pressionar os seus respectivos governos a não permitirem que o domínio islâmico seja implantado em suas fronteiras. O risco existe e ainda poderá ter tempo para deter o avanço e o domínio islâmico, porém, se fecharem os olhos e não agirem poderá ser tarde... mortes, atentados, explosões, atropelamentos em série. Uma vez no poder político, o islamismo implantará a Lei da Sharia, suprimindo a liberdade ainda existente.

Estude de forma objetiva e sucinta o islamismo em seu contexto histórico e político.

Vídeo 2 : Breve história do Islamismo – Brigitte Gabriel

Domínio e expansão do islamismo através dos séculos.

Vídeo 3 : A história não contada do islamismo em números

A estratégia islâmica de dominação mundial possui o aval dos “senhores do mundo” para controle do crescimento da religião judaico-cristã e também como forma de dominação social e redução desta população. Pergunta inquietante:

1º Por que não colocam um freio no crescimento e expansão do islamismo?  Domesticação social pela força bruta.

Com o islamismo estabelecido dentro de uma nação e com os seus alicerces baseados na conversão dos infiéis ou a morte deles, significa que o governo é conivente com os assassinatos, comprando a mídia e vendendo tais tragédias como alucinações ou casos atípicos. Dificilmente permitirão citar que o sofrimento alheio foi cometido por um fiel e seguidor islâmico. Desta forma, estar preparado para o confronto é o dever dos cidadãos.  Mudar este cenário apenas com revolução social, paralizações ou mecanismo de inteligência confrontadores desta permissão de conviver com inimigos mortais declarados. Apenas uma revolução social será o freio e a expulsão desta religião e de seus adeptos. Com governos e mídias debaixo da maçonaria, illuminatis e qualquer variação ou departamento dentro da maçonaria, não haverá boa vontade governamental para parar o islamismo e as atrocidades contidas no pacote. Se não perceberam, a democracia para ser justa precisa de pessoas conscientes e que lutem por suas liberdades, do contrário, a democracia tem por trás de sua máscara a face literal da ditadura. Vejam a Força Nacional e outras polícias criadas em alguns países no mundo que cumprem e cumprirão o mesmo papel da Gestapo de Hitler. Para as demais democracias, há o conceito posto em prática do Crescimento Zero e microeconomias. 


A DOMINAÇÃO ISLÂMICA NO BRASIL

A dominação islâmica do país já se inicia pela Lei de Imigração, recém aprovada e já em vigor:

Imagem 2 [3]

Vemos apenas o começo da agonia ao qual seremos submetidos, com a conivência DELIBERADA do governo brasileiro, maçons e adeptos das religiões enraizadas no Egito e Babilônia.

O que é Xaria, conhecida como Sharia,  e como ela nos afetará em um futuro próximo?    

 Texto abaixo foi reproduzido na íntegra de Jornal GGN
Fonte: Jornal GGN – As leis da Sharia e o Irã, publicado em 12/02/2011 – disponível em https://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/as-leis-de-sharia-e-o-ira

 As Leis de Sharia e o Irã
12/02/2011 às 19:42
Atualizado em 16/03/2012 às 12:03
Por Dida
Diga-se se o que vai abaixo é invenção ocidental, visando deturpar o islã:
Leis da Sharia:
  1. jihad*, definida como "guerrear contra não-muçulmanos para estabelecer a religião," é dever de todo muçulmano e chefe muçulmano de Estado (califa). Califas muçulmanos que recusem a jihad violam a Sharia e não estão capacitados a governar.
  2. Um califa pode assumir o cargo a partir da tomada do poder, ou seja, através da força.
  3. Um califa é imune a acusações de crimes graves, como assassinato, adultério, roubo, furto, embriaguês e, em alguns casos, estupro.
  4. Uma porcentagem da Zakat (dinheiro de caridade) deve ir para a jihad.
  5. A obediência às ordens do califa é obrigatória, mesmo se ele for injusto.
  6. Um califa deve ser muçulmano, não-escravo e do sexo masculino.
  7. O público muçulmano deve depor o califa se ele rejeitar o Islã.
  8. Um muçulmano que abandone o Islã* deve ser imediatamente morto.
  9. Um muçulmano será perdoado pelo assassinato de: 1) um apóstata, 2) um adúltero, e 3) um salteador de estradas - o que torna linchamentos e assassinatos por honra aceitáveis.
  10. Um muçulmano não receberá a pena de morte se matar um um não-muçulmano, mas a receberá pelo assassinato de um muçulmano.
  11. A Sharia nunca aboliu a escravidão* nem a escravidão sexual e a regulamenta de forma estrita. Um mestre não será punido por matar seu escravo.
  12. A Sharia prescreve a morte por apedrejamento*, decapitação, amputação de membros, açoitamento - mesmo para crimes de pecado como adultério.
  13. Não-Muçulmanos* não são iguais a muçulmanos sob a lei. Eles devem obedecer à lei islâmica se quiserem permanecer em segurança. Eles são proibidos de se casarem com mulheres muçulmanas, exibir vinho ou carne de porco em público, recitar suas escrituras ou celebrar abertamente suas festividades ou funerais. Eles são proibidos de construir novas igrejas ou construí-las mais altas que as mesquitas. Não podem entrar em uma mesquita sem permissão. Um não-muçulmano não está mais sob proteção se ele desencaminha um muçulmano do Islã.
  14. É crime um não-muçulmano vender armas para alguém que vai usá-las contra os muçulmanos. Não-muçulmanos não podem amaldiçoar um muçulmano, nem dizer nada de pejorativo sobre Alá, o Profeta ou o Islã, nem expor os pontos fracos dos muçulmanos. Mas o mesmo não se aplica aos muçulmanos.
  15. Os bancos* devem ser concordes com a Sharia e os juros não são permitidos.
  16. Um não-muçulmano não pode herdar de um muçulmano.
  17. Nenhum testemunho em corte da parte de pessoas de empregos de baixo nível, como varredores de rua ou limpadores de banheiros, pode ser aceitos. As mulheres em empregos de baixo nível, como carpideiras profissionais de funerais, não podem ter a guarda dos filhos, em caso de divórcio.
  18. Um não-muçulmano não pode governar nem mesmo sobre uma minoria de não-muçulmanos.
  19. homossexualidade* é punida com a morte.
  20. Não há limite de idade para o casamento das meninas. O contrato de casamento pode ocorrer após o nascimento e consumado na idade de 8 ou nove anos*.
  21. A rebeldia por parte da esposa anula a obrigação do marido em lhe sustentar e dá a ele a permissão de lhe bater e impedir de sair de casa.
  22. O divórico está só nas mãos do marido e consiste apenas em dizer "Eu me divorcio de ti" e se efetiva mesmo se o marido não tivesse esta intenção.
  23. Não há propriedade comum entre marido e mulher e a propriedade do marido não vai automaticamente para a mulher depois de sua morte.
  24. Uma mulher* herda metade do que um homem herda.
  25. Um homem tem o direito de ter até quatro esposas e ela não tem o direito de se divorciar dele, mesmo se ele for polígamo.
  26. O dote é dado em troca dos orgãos sexuais da mulher.
  27. Um homem tem a permissão de fazer sexo com as escravas e as mulheres capturadas na guerra, e se a mulher escravizada for casada, o casamento fica anulado.
  28. O testemunho de uma mulher vale metade do de um homem num tribunal.
  29. Uma mulher perde a custódia dos filhos se se casa de novo.
  30. Para provar um estupro, uma mulher precisa ter quatro testemunhas masculinas.
    1. Um estuprador pode ser solicitado a apenas pagar o dinheiro da noiva (dote), sem se casar com a vítima do estupro.
    2. Uma muçulmana deve cobrir* cada centímetro de seu corpo, que é considerado "Awrah," um órgão sexual. Nem todas as escolas da Sharia permitem que o rosto de uma mulher seja exposto.
    3. Um muçulmano fica perdoado se mata a mulher no momento em que a apanhou em flagrante de adultério. Entretanto, o contrário não vale, já que ele "poderia estar casado com a mulher com que ele foi apanhado."
    4. É obrigação de um muçulmano mentir se o objetivo for uma obrigação. Isto quer dizer quer dizer que, afim de cumprir os mandamentos do Islã, tais como a jihad, um muçulmano é obrigado a mentir e não deve ter nenhum sentimento de remorso ou vergonha associado a este tipo de mentira

A SHARIA NA PRÁTICA

Imagem 3

Imagem 4 - As imagens falam por si e para muitas nações e para o Brasil é o que ocorrerá.

A única maneira possível de sobreviver é nos prepararmos para resistir por conta própria, não teremos apoio de ninguém. Não deixe o tempo passar para certificar se os fatos são reais para posteriormente se preparar. O perigo é eminente e sem preparo pode ser tarde demais.

Leitura complementar: Sharia, a verdade sobre a Lei Islâmica.

Imagem 5

Muitos consideram este tema e outros como teoria da conspiração ou artigo para chamar a atenção, audiência. Dica: adote um islâmico fiel e dedicado e verão o que irá acontecer em breve com as suas próprias cabeças. O “politicamente correto” irá custar muito caro.

De um lado, crianças sendo recrutadas para o Jihad islâmico e, de outro lado, crianças sendo sumariamente executadas com requintes de crueldade de mentes insanas, de maneira absurda e atroz, quer por serem consideradas “apóstatas da fé islâmica” ou qualquer outro argumento que se queira dar, portanto, crianças, mulheres e idosos sofrerão atrocidades justificadas por Alá e os escritos do Alcorão, infiéis segundo seus ensinos.

As sociedades estão cegas e incrédulas a toda esta barbárie insana que, além de convivente e cúmplice (apatia e narcisismo), nos quer submissos à mesma insanidade pela falta de atitude contra o islã.  A Europa e Estados Unidos são exemplos de nações que ainda não acordaram para a realidade islâmica e sofrem com os atentados noticiados, fora os que são proibidos de irem a público, manchetes.

Imagem 6 - insanidade islâmica contra crianças indefesas

Há uma questão para a problemática Islâmica: Onde o Islamismo se encaixa no contexto das Escrituras Sagradas e qual é o seu papel?

Para responder a estas perguntas, precisamos entender como se aborda as Escrituras Sagradas no seu contexto judaico, nos quatro níveis de interpretação.

  • Peshat – Significado literal e pleno de um texto.
  • Remetz – Pista para apreciar um significado mais profundo.
  • Drash ou Midrash – Analogia , tipologia.
  • Sod – Revelação ou segredo Rhema em cada palavra.

Nota: Remetz, drash e sod obviamente expressam a onipotência de D’us. Também expressam seu amor pela humanidade no sentido de que Ele escolhe, a partir do Seu amor, usar meios extraordinários para alcançar o coração e a mente das pessoas.

O artigo “Final dos tempos chegou” introduz o tema sobre o Islamismo e este (Islã, a verdade por trás do véu) focamos em fatos. O Islamismo é um dos instrumentos da ira e do juízo de D’us para as nações e o real papel desta religião militar.

Imagem 7

Nosso posicionamento perante a realidade dos acontecimentos no mundo e os impactos na sociedade, familiar e pessoal certamente nos definirão na eternidade. Somos todos, sem exceção, inescusáveis diante do Eterno D’us e independentemente do que tenhamos conhecimento, não poderemos alegar ignorância diante D’Ele. A ignorância é um instrumento das trevas e a má administração do tempo para a busca do conhecimento e da verdade será exposta no juízo de D’us. O cerne da questão é: 

Quem tem ouvidos, ouça o que a Ruakh diz ....

Imagem 8

Lembrem-se de que a Sharia institucionalizada pelo Estado brasileiro irá, sobretudo, por um fim em nosso modo de vida ocidental, ainda livre para se expor (ideias ou pensamentos, críticas, manifestações para garantias de direitos) e ter liberdades garantidas que podem ser usufruídas democraticamente. Este é um dos planos  que o islamismo implanta, porém no início, se apresentam às nações como cordeiros quando na verdade são lobos devoradores que não irão poupar a quem quer que seja, salvo se convertidos ao islamismo, cumprindo a risca todas as suas leis e ritos sendo até mesmo estes recém-convertidos não isentos da mesma pena estabelecida aos infiéis. Serão usados como fantoches e depois descartados, engravidando as suas mulheres para se perpetuarem aonde quer que se instalem.

O islamismo não conhece compaixão, mata pelo prazer de matar todo aquele que for “infiel”. 

Imagem 9

A pergunta é simples caro leitor! O que efetivamente você irá fazer e como irá se posicionar?

Prepare-se para combater por seus familiares e amigos, por seus irmãos de fé e por sua vida!

ou

Acovarde–se e prepare-se para morrer!

A escolha é somente sua.

Materiais complementares

Documentário: Israel, o Islã e o Armagedom - Dave Hunt
Documentário: A igreja católica controla o Islamismo
Documentário: Toda a Verdade sobre a Farsa do Estado Islâmico (ISIS)


[1] Fonte: Youtube – Igreja católica controla o islamismo, publicado em 11 de novembro de 2013, acessado dia 03 de outubro de 2017. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=5pWA8d2oWzY

[2] Referências: Historial de la relaciones de las Dictaduras de Latinoamerica con Estados Unidos CIA, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=WVXO6BloFIU. Acesso dia 04 de outubro de 2017

[3] Fonte: Crítica nacional, publicado em 23/04/2017 – disponível em  https://www.criticanacional.com.br/2017/04/23/senado-aprova-lei-de-migracao-que-rebaixa-cidadania-e-soberania-brasileiras/

Autor: Antonio Carlos Calçada
Revisão: Flávio Sodré

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *